Pular para o conteúdo

Vilões e Motivações

7 de maio de 2019

Olá, Mestres e Jogadores! No post de hoje vamos falar daqueles malditos, mas algumas vezes amados e talvez incompreendidos que fazem uma aventura ser épica, os Vilões!

O post dará alguns exemplos pra construção de um vilão e suas motivações com base em alguns exemplos conhecidos ou interessantes. Poderá haver mais um post sobre mais tipos de vilões, mas por enquanto vamos ficar com 5 exemplos vão do extremo da zona dark até os que pisam nessa zona cinza onde o vilão só se diferencia de um herói pelos meios que usa para o objetivo. Bom, vamos lá!

Sephiroth – Final Fantasy VII

Destruição e Reconstrução

Um conhecido combatente da SOLDIER, após descobrir as maquinações da companhia que defendia sobre sua criação, decide “limpar” o planeta e mais tarde, se tornar o Deus desse novo mundo.

Sephiroth é um exemplo do vilão que era um herói, rei, uma figura exemplar, mas que por algum motivo, envereda para um lado cruel. No caso de Sephiroth, ele quer a destruição da vida no planeta e almeja se tornar o deus do que sobrar e esse é um vilão com objetivos extremos e urgentes, por mais que sejam raros vilões assim, existe na destruição o sonho da reconstrução perfeita que pode levar os personagens a inimigos extremamente poderosos e focados. Existe um apelo narrativo muito forte numa figura lendária ou admirada se tornar “maligna”. Geralmente esse tipo de vilão possui uma tendência a arrumar seguidores com base na confiança de sua fama passada, etc. Tanto Mestre quanto Jogadores podem aproveitar em muito vilões assim.

Um jogador pode ter em seu personagem admiração pela figura do pré-vilão, o que pode influenciar na arma que ele usa, na divindade que ele cultua, no tipo de pessoa que ele quer ser no mundo são alguns exemplos.

*Já o Mestre pode usar um personagem desses para dar um choque no grupo com uma boa trama, a pessoa que eles mais confiavam e ajudaram, se torna a pior inimiga por exemplo. Extremo como Sephiroth, o vilão que deseja destruir o mundo ou se tornar um deus é um problema gigante e urgente que pode fazer os aventureiros buscarem por aliados poderosos ou itens esquecidos para deter a ameaça catastrófica.

Doomfist e a Talon – Overwatch

Líder carismático e organizações

Akande Ogundimu era um ótimo competidor de artes marciais além de empresário bem sucedido, porém, quando sua carreira nas lutas se encerrou após um acidente, nada preenchia o vazio. Recrutado como mercenário e apresentado a organização Talon que assim como Ogundimu, tinha a crença de que a humanidade precisava de uma crise para se fortalecer e numa disputa de poder dentro da organização, Ogundimu tomou o lugar de seu mentor assumindo o manto de Doomfist.

Esse contexto que uma guerra, fome, catástrofes “fortalecem” as pessoas, uma geração, pode ser muito bem utilizado em uma campanha onde haja concentrações de poder como reinos, facções, etc. Doomfist, um líder nato, cresceu dentro da Talon e com a Talon. Isso pode muito bem ser aplicado a um governante longe da linha de sucessão mas que com uma crise, conseguiria maquinar sua ascensão e assumir o governo de um reino, um comerciante influente que pode usar uma crise para lucrar ou até influenciar um governo com seu poder.

*Jogadores poderiam desde conhecer a figura do passado dessa pessoa ou até serem personagens decepcionados com a mudança que um vilão desses trouxe a facção ou organização a que pertencia.

*Podendo dar uma cara para a crise ou criador de desgraça, o Mestre direciona o problema, dá um foco para o grupo agir contra sendo a organização ou um líder. Também se pode explorar o povo que concorda com o retorno de uma guerra como ex-soldados ou igrejas com suas cruzadas.

Lordes da Justiça – Universo DC

Heróis a Vilões

Em uma Terra paralela, após uma série de acontecimentos, a “Liga da Justiça” assumiu o governo. Deixando a moral de lado, reprimindo qualquer protesto e oposição, os Lordes da Justiça governam como eles acreditam ser o melhor para as pessoas, porém, de forma autoritária e repressiva.

As intenções dos Lordes da Justiça poderiam ser inicialmente boas, porém, o grupo se perdeu e se tornou um poder repressivo e ditatorial. Quantas vezes os próprios aventureiros não precisam tomar atitudes que, sob outras circunstâncias, seriam atribuídas a um vilão? Por mais que as intenções sejam boas, um grupo de heróis, um reino, uma igreja pode acabar se tornando o vilão de sua campanha. Pessoas comprometidas a implementar a sua versão de “bem” custe o que custar.

*Os aventureiros podem se tornar um grupo de oposição, ir atrás de aliados ou até mesmo montar um tipo de resistência contra o poder autoritário que se espalha.

*Mestres podem usar os aventureiros para ajudar essa ascensão de poder, fazendo com que o grupo tenha que buscar consertar as coisas ou ao menos… se redimir.

Gorr, o Carniceiro dos Deuses – HQ: Thor God of Thunder

Exterminador Calculista

Gorr é um vilão de Thor, porém, muito mais denso do que a maioria dos vilões por aí. Eu inclusive resolvi fazer esse post por causa dele. Gorr nasceu num planeta miserável e teve uma vida miserável onde sempre teve de ser grato aos deuses que para ele, nunca respondiam as preces de ninguém. Após perder tudo, Gorr acaba testemunhando a luta de dois deuses e lá, acaba matando seu primeiro deus. Focado, Gorr decide atravessar o cosmos matando cada deus que encontrar.

Por mais que Gorr esteja matando deuses, naquele cenário os deuses são apenas pessoas imortais, cheias de vaidade, ganância, egoísmo e não estão nem aí para as preces e necessidades daqueles que esperam ajuda, logo, talvez um universo sem deuses seja melhor. Vilões como esse têm sido recorrentes ultimamente principalmente no cinema. Objetivos que de fato, talvez não alterem a vida das pessoas comuns, mas que nem por isso, deixem de serem moralmente errados. Um vilão focado em exterminar uma raça, uma classe social, uma religião ou até mesmo os deuses têm tudo para ser um vilão recorrente, que sabe quando recuar e quais batalhas lutar, o que pode vir a dar dores de cabeça para os aventureiros.

*Alguns aventureiros podem pertencer ao alvo do vilão sendo da religião que ele busca acabar ou da raça ou serem os investigadores do rastro de sangue que essa figura deixa.

*Talvez a extinção de algo que não é realmente bom possa mexer com alguns dos aventureiros e seguir a trilha de sangue pode servir para inclusive expor a verdadeira natureza dos alvos do vilão que podem ser tão ruins quanto e trazer mais questionamentos para o grupo.

*******

(Bônus) Esqueleto – He-man

Obsessão e Loucura

Hahaha, como bônus temos Esqueleto do He-Man, acredito que o mais conhecido dessa lista. Esqueleto ou Skeletor (inglês) quer dominar Eternia e busca o poder de Grayskull para conseguir alcançar seu objetivo pois lá reside grande poder.

Esqueleto é conhecido em Eternia, é um vilão famoso dentro do próprio cenário, sabem onde ele vive e seu objetivo que é uma obsessão que beira a loucura. Apesar das abordagens diferentes e criativas com invenções ou magias, felizmente o vilão sempre é derrotado pelos opositores, porém, Esqueleto é um vilão que prefere fugir para tentar mais uma vez. Um vilão recorrente e engenhoso pode contribuir para a campanha sendo aquele chato que aparece pra frustrar os planos do grupo, talvez só pra atrapalhar ou complicar as coisas. Talvez para a maioria das mesas esse tipo de comportamento poderia ser de um vilão menor, mas se um vilão como Esqueleto que está sempre evoluindo, acompanhasse o ritmo do grupo, lá na frente ele poderia se tornar uma força temida.

*Quanto mais antigo for esse vilão ou ao menos quanto mais tempo ele inferniza um lugar ou pessoas, mais personagens poderiam conhecer sua figura e terem algo em sua história relacionado ao vilão, como uma vingança pela morte dos pais, etc…

*O típico vilão Mestre X Jogador, hahah. Com base conhecida ou características, o vilão pode aparecer diversas vezes para atrapalhar ou usar o grupo. Esse tipo de vilão obsessivo costuma ser sádico e gosta de jogar com o grupo, o que pode render uma boa fama na mesa e que num momento derradeiro culmine num dos maiores embates finais já jogados.

E aí, gostaram do post? Esses foram alguns exemplos de vilões e objetivos para inspirar Mestres e Jogadores. Criar um vilão novo num cenário ou criar um personagem com um vilão no background pode enriquecer muito o jogo. Boas rolagens e ah, curta a página do EK no Facebook:

https://www.facebook.com/epickingdomrpg/

3 Comentários leave one →
  1. 7 de maio de 2019 13:58

    Adorei o post!
    Preciso aprender a criar vilões melhores para minhas histórias.

    Valeu!

    • 8 de maio de 2019 13:32

      Obrigado! É isso aí, um inspirando o outro e dando ideia pra melhorar cada vez mais. Boas aventuras e obrigado pelo comentário, brother. 🎲

Trackbacks

  1. Ganchos Para Aventuras | Epic Kingdom RPG - Dungeons & Dragons

Deixe o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: