Skip to content

Dungeons & Dragons x Dungeon World – As Diferenças

julho 30, 2014

D&D x DW

De um lado, o primeiro e mais famoso RPG do mundo: o glorioso D&D; do outro, um RPG indie que é a variação de outro sistema (Apocalypse World). Ambos têm o mesmo tema: fantasia medieval, um utiliza d20 e o outro 2d6, mas não é só nisso em que eles se diferenciam…

Mesmo eu sendo um grande fã de Gary Gygax, D&D, Old Dragon, Caverna do Dragão… e tendo iniciado a jogar com esse sistema, Dungeon World me conquistou e abriu espaço para se tornar o sistema atual na minha mesa de jogo. Citarei alguns dos motivos:

1. O Combate
D&D é um sistema focado no combate, regras minuciosas sobre bônus, danos, posicionamentos (muitas vezes exigindo miniaturas) e durações de turnos dos efeitos e magias. Os monstros têm muitos pontos de vida e pelas regras, um guerreiro poderia agüentar facilmente 60 golpes de adaga antes de cair inconsciente.
Mas isso não é o problema, o problema é quando depois de um tempo de jogo, o combate vira um ciclo tedioso, estragando a diversão.
Dungeon World tem um sistema mais simples, com posicionamento superficial e resoluções de cenas e combates só por conversação, além de movimentos que induzem a resultados de sucesso sem problemas, sucesso com alguma complicação ou fracassos. Os monstros mais poderosos como os dragões têm apenas 16 PV’s.
Os combates não são divididos em turnos, ninguém rola ordem de iniciativa, o fluxo de jogo não muda só porque alguém sacou a espada.

2. Fichas de Personagens
Tudo o que você precisa pra jogar está nas fichas de personagens. Ponto para Dungeon World!
Sempre perdi metade de uma sessão para ajudar os jogadores a criarem suas fichas de personagens nível 01 em D&D 3.5 e até na 4.0 que parecia ser mais fácil, o tempo economizado anteriormente era gasto na cópia dos poderes pra ficha…
DW possui classes equilibradas, tornando cada personagem útil e divertido de jogar, sem precisar de “munchkinização” e competição na mesa pelo maior dano.

3. Backgrounds
A parte de background, apesar da riqueza de fluff nos livros de D&D, fica superficial. O sistema de Dungeon World incentiva isso utilizando as regras de vínculos já nas fichas dos personagens. Chega de personagens órfãos e com amnésia!
Além disso, várias habilidades de classe/raça têm efeitos com o passado e localidade de seu personagem.

4. Criação Colaborativa
Dungeon World não deixa a história toda nas costas do mestre, o jogo sempre incentiva que os jogadores colaborem na narrativa pra construir a história (e até detalhes do mundo). E isso funciona pois está implícito nas regras do sistema. Habilidades de classe/raça e até magias podem fazer com que o rumo da história mude. Isso eu considero como a essência do RPG.
Quando os jogadores perguntarem: “Como é a aparência do capitão da guarda real?“, o mestre pode devolver a pergunta: “Não sei, diga-me você, como ele aparentava da última vez em que vocês o encontraram?“.

5. XP
Em D&D, o meio principal de se ganhar pontos de experiência (XP) era matar monstros. Tude bem, você também poderia conseguir isso desarmando armadilhas, completando missões, etc… Mas Dungeon World trouxe um conceito totalmente diferente quando você recebe XP por FALHAR nos testes. Além de recompensá-lo com XP também ao cumprir objetivos do seu personagem, resolver vínculos ou simplesmente agir como seu alinhamento.

6. Não Existe ‘Nível de Desafio’
Dungeon World é focado na ficção, esse não é um  jogo onde a classe de armadura e os dados de danos comandam tudo. Os monstros em Dungeon World são diferenciados pela descrição do mestre, não
por fatores mecânicos.
Preste atenção nessas duas descrições:

A) MJ: “O kobold salta sobre você balançando uma corrente sobre a cabeça”.
PJ: “Darei uma estocada nele com minha espada!
MJ: “Parece um Matar e Pilhar, vamos lá, role os dados”.

B) MJ: “O kobold salta sobre você, balançando uma corrente sobre a cabeça. Ele parece um dervixe rodopiante, voando através do campo de batalha com seu enferrujado mangual improvisado“.
PJ: “Darei uma estocada nele com minha espada!
MJ: “Ele está pulando para trás e pra frente como se estivesse enlouquecido, enquanto gira aquela corrente zunindo, você precisará Desafiar o Perigo só pra conseguir chegar perto a fim de atingi-lo. Se conseguir, poderá rolar seu Matar e Pilhar”.

Algumas criaturas operam em uma escala tão distante dos mortais que conceitos como pontos de vida, armadura e dano simplesmente não se aplicam. Algumas delas não são perigosas em uma luta, mas ainda assim podem causar problemas para os jogadores e serem derrotadas através de planos bem elaborados e preparação suficiente. O Tarrasque, por exemplo, não apresenta estatísticas.

7. Livros
D&D utiliza três livros básicos (fora os inúmeros suplementos) e isso pode atrapalhar na consulta durante o jogo ou até mesmo pesar quando você for carregá-los. Dungeon World possui todo o necessário em apenas 1 livro. Digo por experiência própria.

CONCLUSÃO
Com esse texto, eu não quero fazer com que ninguém largue o D&D (ou o seu sistema atual), mas sim que dê uma chance e experimente o DW e abra sua mente para um sistema que preza pela criação colaborativa de histórias e o desenrolar dos objetivos e vínculos dos personagens na ficção.

Ótimo texto para exemplificar bem o que eu tentei explicar “DW e o Dragão de 16 PVs“, clique aqui!

Já leu o livro e ainda possui dúvidas? Leia o Guia de Dungeon World, clique aqui!
_____________________________________________________________
E você, qual o seu preferido: Dungeons & Dragons ou Dungeon World?

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. julho 30, 2014 8:39 am

    Dungeon World pela liberdade de criação e interpretação. Melhor sistema que já joguei!!!

  2. julho 30, 2014 8:41 am

    Ainda não joguei D&D 5ªEdição, mas estou com um grupo de Old Dragon e outro de Dungeon WOrld aos domingos, gostamos dos dois. Mas DW é o que rendeu mais histórias até o momento.

  3. julho 30, 2014 10:45 am

    Eu adquiri o Dungeon World á alguns meses, pela promessa de um jogo mais rápido e customizável do que o truncado D&D. Gostei bastante das regras e da forma como são apresentadas, mas ele simplesmente não serviu ao meu grupo de jogo, por um único motivo: a mesma falta de regras que deixa tudo livre e fácil para criação conjunta, acaba deixando em aberto muito do que seria legal colocar em regras. Esse é um traço do meu grupo, a necessidade de regras para tarefas simples. Um dia eu pretendo usar o Dungeon World com um grupo iniciante para observar o resultado, mas para um grupo com mais de 15 anos de estrada, não foi agradável, e nos mantivemos em D&D 3.5

    • Edu Trevisan permalink*
      julho 30, 2014 11:02 am

      Interessante Lucas!
      Pretendo iniciar um novo grupo com o DW (mesclando jogadores iniciantes e os véios de D&D há 15+ anos tb), vamos ver no que dá.

      • julho 31, 2014 1:33 am

        Para os iniciantes, com certeza vai ser uma boa pedida, pela simplicidade do sistema como um todo… os problemas que eu encontrei foram graças aos “véios”, nos quais me incluo rsrsrs

  4. julho 30, 2014 12:40 pm

    Todas as ideias do DW podem ser usadas em qualquer sistema, como o Diogo do Pontos de Experiência já postou. A falha do DW que vi por aqui é a falta de um avanço no personagem.

Deixe o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: